sábado, 2 de março de 2013

Rio Branco/AC a Cusco/PE

Partimos agora eu e a Simone de Rio Branco no Acre rumo a Cusco no Peru, onde pretendemos visitar o sitio arqueologico de Machu Picchu, foram dois dias de estrada até Cusco, aproximadamente 500 km por dia.
Fomos para a estrada bem cedo em direção a cidade de Assis Brasil, a qual faz divisa com o Peru, porem antes passamos pela cidade de Xapuri no Acre, esta que foi a base de atuação de Chico Mendes, grande ativista que lutou pelo mantenimento da selva contra os grande latifundiarios que pretendiam destruir a selva e transforma-la em pastagens, nesta cidade tivemos a oportunidade de conhecer a casa onde viveu Chico Mendes, muito interessante a visita, sendo que a casa continua original desde a sua morte.
Deixando Xapuri para tras passamos pela cidade de Brasiléia que faz divisa com a cidade de Cobija na Bolivia, aproveitamos para adentrar o território Boliviano por uns instantes. A partir dai teriamos aproximadamente 300 km para chegar a cidade de Puerto Maldonado que era nosso objetivo do dia, passamos rapidamente por Assis Brasil onde fizemos os tramites de fronteira e cambiamos a moeda nacional para o dinheiro peruano.
Ja em território peruano a estrada que na parte brasileira vinha apresentando varios buracos passou a ser um agradavel tapete de asfalto onde pudemos acelerar sem problemas, salvo pela quantidade de animais e lombadas que se tem ao longo da estrada. Chegamos a Puerto Maldonado ja no final da tarde e nos hospedamos no Hotel Cabaña Quinta, otimo hotel porem um pouco fora do nosso orçamento, o quarto de casal saiu por 150 soles (dinheiro peruano), ja instalados aproveitamos para conhecer um pouco desta movimentada cidade que vem crescendo a cada dia desde que foi asfaltada a carretera interoceanica.
No segundo dia partimos de Puerto Maldonado em direção a cusco, este que foi um dos dias mais interessantes da viajem até o momento, pois cruzamos a cordilheira dos andes a invcriveis 4750 metros acima do nivel do mar, no começo do dia se anda por um bom tempo no meio da selva peruana, calor e humidade a niveis impressionantes, interessante é o desenvolvimento que se nota por essa região, cidades desabrochando no meio do nada, não se pode dizer que sejam cidades moderna ou até mesmo desenvolvidas, porem tem infra estrutura de postos de gasolina e algo para comer e até mesmo hospedar-se caso tenha necessidade, logo depois se começa a subida da cordilheira, muitas curvas e paisagens realmente deslumbrantes nos acompanharam por todo o caminho, o tempo começou a fechar conforme iamos subindo e pegamos um pouco de chuva apenas quando estavamos quase atingindo o topo dos andes, vale ressaltar aqui a necessidade de se proteger contra o frio nas partes mais altas dos andes, pois quando se sai de Puerto Maldonado a temperatura é alta, por ser esta uma cidade no meio da selva amazônica peruana e quase ao nivel do mar, porem quando se vai subindo a cordilheria a temperatura despenca consideravelmente a ponto de ter neve nos pontos mais altos. Depois de se atingir o ponto mais alto da estrada, começamos a descer em direção a cidade de Urcos, onde se encerra o trecho novo da interoceanica, descida incrivel, curvas aos montes e um lindo visual do vale do rio Vilcabamba, onde se situam varias cidades inclusive a cidade de Cusco, onde agora nos encontramos hospedados no Hostel Casa Grande, bem proximo a Plaza de Armas e conhecido por recepcionar motociclistas de todo o mundo.


Inicio da estrda do Pacifico em Rio Branco no Acre

Casa de Chico Mendes



Lindas pontes cruzam os varios rios ao longo da carretera

Ponto mais alto da travessia dos andes

Gracias Madre de Dios, mas ja estou indo.

Um mate de coca no alto dos andes para amenizar os efeitos da altitude




Nenhum comentário:

Postar um comentário